Para contribuir com esse blog, enviar notícias de sua diocese e sugestões entre em contato através do e-mail: pastoraldaaidsnorte1@gmail.com

domingo, 20 de maio de 2018

Pastoral da Aids de Manaus Celebra Vigília Pelos Mortos de Aids


A Pastoral da Aids da Arquidiocese de Manaus realizou neste último sábado 19 de maio de 2018, às 17:00 a Vigília Pelos Mortos de Aids, evento que marca as Ações pontuais da Pastoral em todo Brasil.
Com o tema “Tantas Vidas não podem se perder”, a Pastoral trouxe a memória daqueles e daquelas que foram vitimadas pela Aids. O celebrante Pe. Joaquim Hudson de Souza motivou os agentes e a comunidade a se manterem firmes nos propósitos da Prevenção, embora os desafios sejam muitos na contenção desta doença.
Com os símbolos apresentados, através do laço, da iluminação das velas e a integração do canto “Tantas Vidas Não Podem se perder”, levou a atenção dos presentes a contemplar todo este momento celebrativo.
Participaram desta celebração 20 Agentes da Pastoral, colaboradores da Casa de Amparo Frei Maio Monacelli e Grupo Dom Jackson que trabalham com assistência e Prevenção ao HIV na cidade de Manaus.
A Vigília Pelos Mortos da Aids sendo um acontecimento mundial, tem por tradição acontecer sempre que possível no Terceiro Domingo de maio, assim como também pode acontecer durante todo o mês dentro do calendário específico de cada Comunidade Paroquial.
Este evento celebrativo nos motiva para melhor compreensão do tema abordado, despertando a consciência da Prevenção em favor da Vida!

Texto e Fotos por Eduardo Soares 












 

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Vigília Pelos Mortos de Aids acontece neste Sábado 19 de Maio de 2018 em Manaus


No Brasil, este evento é também organizado pela Pastoral da Aids – CNBB denominado “Vigília pelos Mortos de Aids” que reafirma neste ano “tantas vidas não podem se perder” em várias celebrações litúrgicas e demais atos públicos espalhados pelas federações. Trata-se de em momento histórico para lembrar os amigos e familiares que perdemos e aumentar a conscientização sobre o HIV, transformando a saudade em atitudes de solidariedade e cuidado à vida, "Refletindo sobre nosso passado, cuidando do nosso futuro!".
Quando o Memorial da Luz de Velas contra a AIDS foi realizado pela primeira vez no ano 1983, ninguém poderia ter previsto a escala e o impacto da epidemia global de HIV que agora está em sua terceira década. Com milhões de vidas perdidas e cerca de 37 milhões de pessoas atualmente vivendo com o HIV e nos permanecemos profundamente desafiados por essa epidemia. Para alguns, o HIV tornou-se uma doença crônica manejável, mas para muitos o HIV é luta de vida diária que reivindica por tratamento e cuidados, alimentação adequada, moradia e renda, muitas vezes em face do estigma generalizado relacionado ao HIV, discriminação e discriminação.


É postura dos cristãos defender a vida, principalmente onde ela é mais ameaçada. E por isso, não podemos aceitar que tantas vidas se percam para a Pandemia da Aids. Com isso, seguindo os ensinamentos de Cristo, queremos fazer memória em busca da atualização do mistério salvífico, anunciar o Reino e denunciar os sinais de morte presentes em nossas diversas realidades sociais. E como sal da terra e luz do mundo, testemunhar “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar boas novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos” (Lc 4,18) e “curar os doentes” (Mc 6,13).
Por ocasião do dia mundial de luta contra aids de 2016, o Papa Francisco fez um apelo:  “Milhões de pessoas convivem com esta doença e somente metade delas tem acesso a terapias. Convido a rezar por elas e por seus caros e a promover a solidariedade para que também os mais pobres possam beneficiar de diagnósticos e tratamentos adequados. Por fim, faço um apelo para todos adotem comportamentos responsáveis para prevenir ainda mais a difusão desta doença”.
A epidemia do HIV continua a revelar diversas formas de violência, como a injustiça e a exclusão em nossas sociedades. Mas há esperança enquanto abrirmos espaços para a solidariedade e resistência contínuas de todas as comunidades que carregam o peso dessa epidemia, incluindo homens gays, transgêneros, profissionais do sexo, pessoas que usam drogas, mulheres e meninas, jovens, adolescentes e crianças.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que desde o início da epidemia, em 1981, até os dias atuais, cerca de 35 milhões de pessoas morreram de aids. E segundo o Boletim Epidemiológico (BRASIL, 2017). Desde o início da epidemia de aids (1980) até 31 de dezembro de 2016, foram notificados no Brasil 316.088 óbitos tendo a HIV/aids como causa básica (CID10: B20 a B24). A maior proporção destes óbitos ocorreu na região Sudeste (59,6%), seguida das regiões Sul (17,6%), Nordeste (13,0%), Centro-Oeste (5,1%) e Norte (4,7%). Em 2016, a distribuição proporcional dos 12.366 óbitos foi: 42,4% no Sudeste, 21,3% no Nordeste, 19,6% no Sul, 10,2% no Norte e 6,5% no Centro-Oeste.
O Memorial internacional à luz de velas da aids nos lembra do tremendo impacto que o HIV e o movimento da aids tiveram em nossas vidas. O Memorial enfatiza a necessidade das pessoas que convivem, vivem e são afetadas pelas realidades do HIV unirem as mãos e refletirem sobre o passado e as vidas preciosas que foram perdidas. O Memorial também nos convoca a compartilhar nossas histórias de desafio, perseverança e triunfo para educar as gerações atuais e futuras sobre o que o movimento da aids alcançou nas últimas três décadas.      
Finalmente, o Memorial pede para trabalharmos juntos, agora mais do que nunca, para sustentar, fortalecer e revitalizar nossa resposta mundial ao HIV, olhando para frente e preparando nosso futuro livre do estigma e discriminação relacionados ao HIV e com acesso universal a toda a gama de direitos humanos, incluindo serviços de prevenção, tratamento e cuidados de qualidade para todos. E para que todos “tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10b).

                                                                            Texto adaptado e organizado por: Prof. Francisco José Corrêa de Araújo, OFS
 

FONTES:

ACIDIGITAL. Papa pede pra rezar pelos enfermos de aids. DISPONÍVEL EM: . Acesso: 09 de maio de 2018.

ATIVO SAÚDE. HIV e Aids no mundo. DISPONÍVEL EM: . Acesso: 09 de maio de 2018.

BÍBLIA SAGRADA. 40a Edição. São Paulo: Ave Maria, 1982.

BRASIL, Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico. 2017. DISPONÍVEL EM: < http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2017/boletim-epidemiologico-hivaids-2017>. Acesso: 09 de maio de 2018.

CANDLE LIGTH MEMORIAL 2018. DISPONÍVEL EM: . Acesso: 09 de maio de 2018.

sábado, 12 de maio de 2018

Visita e Formação na Área Indígena Canauinim - Boa Vista/RR 05/05/18


A Pastoral da Aids do Regional Norte 1, realizou no último sábado 05 de maio uma visita e formação continuada na Comunidade Indígena Canauanim zona rural de Boa Vista Roraima. Estiveram presentes vários representantes da de várias comunidades que formam a Reserva de Serra da Lua, dentre elas de Malacaxeta, Campinho, Barro Vermelho e Canauanim.
Durante a Capacitação foram desenvolvidos diferentes temas e trabalhos, que visam desde a saúde dos povos tradicionais e também as formas como a medicina voltada para o controle do HIV se faz presente entre os indígenas. A visita deu ênfase ao serviço da Pastoral da Aids direcionado pelo Guia do Agente de Pastora.
Participaram deste evento pelo menos 38 colaboradores, entre líderes, jovens e adultos de origem Wapichana e Macuxi.
Também na manhã de domingo 06 de maio, representantes da pastoral de Boa Vista Área Urbana e Equipe de Coordenação Regional, reuniram-se para rever a caminhada da pastoral e organizar, planejar atividades de prevenção com os Migrantes Venezuelanos, na questão de saúde preventiva do HIV/Aids. E a satisfação da presença animadora do Bispo Diocesano Dom Mário Antônio da Silva.

Texto e fotos por Eduardo Soares
















segunda-feira, 26 de março de 2018

Pastoral da Aids Norte 1 realiza Formação Continuada e Capacitação para Novos Agentes em Presidente Figueiredo/ AM. 24.03.2018

A Pastoral da Aids do Regional Norte 1, esteve no dia 24 de março, na cidade de Presidente Figueiredo/AM nas  proximidades de Manaus onde realizou na Comunidade de Nossa Senhora Aparecida a Formação Continuada e Capacitação para Novos Agentes.
Pelo menos 15 pessoas, moradores do município visitado, participaram da formação que foi direcionada por Ir. Maria Irene Tondin, atual Coordenadora Regional da Pastoral da Aids no Regional. Dentre as várias rodas de conversas, foram abordados o papel do Agente da Pastoral da Aids, as formas de prevenção e a espiritualidade que está sempre presente em cada ação.
Durante toda a manhã os novos agentes e os antigos puderam debater e tirar dúvidas de como melhor desenvolver os serviços da Pastoral em Presidente Figueiredo e nas Comunidades próximas.

Texto Eduardo Soares
Fotos Eduardo Soares

Fotos da Capacitação